Quem Somos

quem somos

O Observatório Político representa mais de duas centenas de membros, mais de 80 investigadores, entre doutorados e associados, que constituem um corpo científico de investigadores, Licenciados, Mestres e Doutores, e ainda interessados, na área da ciência política, que visam contribuir para o desenvolvimento do estudo da política e da análise política nacional e internacional. Por iniciativa de Cristina Montalvão Sarmento, vontade essa acompanhada por cerca de 70 estudantes de Ciência Política e Relações Internacionais, foi criado em 2009 pelo Conselho Científico da FCSH – Universidade Nova de Lisboa e, em 2010, foi autonomizado, constituindo-se como uma associação de investigação científica em estudos políticos, sem fins lucrativos, ganhando autonomia para se afirmar na sociedade civil como um centro de investigação de excelência. Em janeiro de 2016, por acordo entre o Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa e o Observatório Político, passou a constituir-se também como parte da Rede de Laboratórios e Observatórios do ISCSP-ULisboa que constituem o acervo e potencial para a maioridade dos estudos políticos em Portugal.

Independente de estruturas político-partidárias, do poder político e dos órgãos de soberania, o Observatório Político tem-se empenhado no desenvolvimento sustentado de uma plataforma de estudo, análise e investigação dedicada à política, apostando na cooperação alargada com a sociedade e a comunicação social, para além dos serviços de ciência e tecnologia. Do conjunto das suas atividades, na génese do Observatório Político, desde 2010, destaca-se a criação, registo e edição da revista científica de reflexão e debate, a Political Observer – Revista Portuguesa de Ciência Política. Publicada desde 2010, com periodicidade semestral, a revista cumpre as normas de referenciação internacionais de qualidade científica em permanente atualização e faz parte das principais plataformas de pesquisa, sendo membro oficial e autorizado da Crossref para depositar o DOI de todos os artigos publicados. De entre a atividade de investigação do Observatório Político, destaca-se ainda a Politipédia – Enciclopédia Política Portuguesa, uma base de dados abrangendo cerca de oito mil entradas na área da Ciência Política, mais de 12 mil ficheiros, cerca de duas centenas de chaves bibliográficas sobre temas de Ciência Política e Relações Internacionais, uma relevante base de dados das eleições em Portugal desde 1820, centenas de biografias da classe política portuguesa, que constitui um valioso património científico do Observatório Político, doado pelo seu autor, Prof. Doutor José Adelino Maltez em 2011.

O projeto geral de investigação do Observatório Político desenvolve-se em torno do conceito de redes políticas: Redes Políticas no Portugal ContemporâneoPolitical Networks in Contemporary Portugal. Que serve o estudo da sociedade em geral e da política em particular, espelhando analiticamente a realidade complexa dos nossos dias. O projeto de investigação do Observatório Político assume estes progressos teóricos e desenvolve-se em torno de três eixos centrais: a teoria política nas suas incursões especulativas ligadas à forma como se desenvolvem os processos políticos neste ambiente e finalmente como as áreas de segurança e estratégia podem ser perspetivadas.

Dada a importância da língua como elemento de compreensão, o Observatório Político investiu na criação de duas redes de investigação: a REIA (Rede de Estudos Ibero-americana) e a RELESI (Rede em Língua Portuguesa de Ensino Superior e Investigação) já consolidadas. Duas outras em processo de consolidação: a HERA (Humanidades na Área de Investigação Europeia) e a RESCUE (Rede de Estudos em Segurança e Estratégia). Sem prejuízo dos contextos internacionais e do acompanhamento dos mais recentes desenvolvimentos teóricos nos vários campos da Ciência Política, da teoria política às instituições e práticas políticas, a política portuguesa e o seu enquadramento, dinâmicas e desenvolvimento são o objeto de análise preferencial.

Unidade de Coordenação ISCSP-ULisboa
Cristina Montalvão Sarmento, Coordenadora
Patrícia Oliveira, Coordenadora-adjunta
Patrícia Tomás, Coordenadora-executiva

Conselho Consultivo Nacional
Adriano Moreira (Academia das Ciências)
Alcino Pinto Couto (Universidade da Beira Interior)
Annabela Rita (CLEPUL, Univ. Lisboa)
Armando Marques Guedes (FD-UNL)
Carlos César da Lima Motta (Univ. Lusíada)
Jorge Bacelar Gouveia (FD-UNL)
José Adelino Maltez (ISCSP-UTL)
José Eduardo Franco (FL, Univ. Lisboa)
José Lamego (FD-Univ. Lisboa)
José Manuel Pureza (Univ. Coimbra)
José Manuel Moreira (Univ. Aveiro)
Luís Andrade (Univ. Açores)
Luís Filipe Lobo-Fernandes (Univ. Minho)
Luís Salgado de Matos (ICS-Univ. Lisboa)
Manuel Meirinho (ISCSP-ULisboa)
Maria Assunção Esteves (Ex-Presidente da Assembleia da República)
Miguel Anacoreta Correia (UCCLA)
Paulo Ferreira da Cunha (Univ. Porto)
Paulo Gorjão (IPRIS)
Pedro Ferré (Univ. Algarve)
Rui Vieira Nery (Univ. Évora / Gulbenkian)

Assembleia Geral
José Fontes, Presidente
Manuel Filipe Canaveira, Primeiro Secretário
Marta Ceia, Segunda Secretária

Conselho Fiscal
Carlos dos Santos Vargas, Presidente
António Horta Fernandes

Direção
Cristina Montalvão Sarmento, Presidente 
Patrícia Oliveira, Secretária
Suzano Costa, Tesoureiro

Conselho Científico Internacional
Alfonso Galindo Hervás (Univ. Murcia, Espanha)
André Corsino Tolentino (IAO, Cabo Verde)
Andrew Linklater (Aberystwyth University)
António Correia e Silva (MESCI, Cabo Verde)
Carlos Batista (IEP- Universidade de Brasília, Brasil)
Eduardo Viana (UFMG-Minas Gerais, Brasil)
Gianfranco Pasquino (Univ. Bolonha, Dickinson College, Johns Hopkins University, Itália)
Gianluca Passarelli (Univ. Roma, Itália)
Jacques de Champchesnel (Sciences-Po Poitiers, França)
Johnatan Paquette (University of Ottawa)
Kevin V. Mulcahy (Louisiana State University, EUA)
Kirk S. Bowman (Sam Nunn School International Affairs, GATECH – Estados Unidos da América)
Lúcia Maria de Paschoal Guimarães (UERJ – Rio de Janeiro, Brasil)
Olivier Dabène (Sciences-Po Paris, França)
Mario Losano (Univ. Piemonte Oriental, Itália)
Pierre Léglise Costa (Université Paris VIII, França)
Stephen Boyle (University of South Australia)