OP@IPSA 2020

Imagem1

O XXVI Congresso Mundial de Ciência Políticaorganizado pela IPSA – Internacional Political Science Association, decorrerá em Lisboa, de 25 a 29 de Julho de 2020 e terá como tema New Nationalisms in an Open World.

A IPSA – (International Political Science Association) foi fundada em 1947, em Paris, sob a égide da UNESCO (United Nations Educational, Scientific and Cultural Organisation) com a missão de desenvolver a Ciência Política no mundo, construir redes académicas, criar uma comunidade inclusiva e global de cientistas de ciência política. Promovendo a colaboração entre estudiosos em democracias emergentes e estabelecidas, incentiva a liberdade académica necessária ao desenvolvimento das ciências sociais. Os congressos mundiais de ciência política da IPSA são bianuais, movendo-se entre continentes.

Call for Proposals até 10 de outubro 2019

Nova data até 24 de outubro 2019!

 

CALL FOR PAPERS: SUBMETA A SUA PROPOSTA DE ARTIGO

Convidamo-lo a submeter a sua proposta de paper para um dos painéis abertos do RC15 “Political and Cultural Geography”, entitulado: “The Politics of Heritage: Spaces, Policies and Practices of Cultural Governance in Pluralistic Societies”.

Submeta aqui o seu paper para o painel: https://wc2020.ipsa.org/wc/panel/politics-heritage-spaces-policies-and-practices-cultural-governance-pluralistic-societies

Para o processo de submissão do seu paper verifique o website da IPSA: https://wc2020.ipsa.org/wc/submit-paper

Nova data limite: 24 de outubro 2019

Painel: “The Politics of Heritage: Spaces, Policies and Practices of Cultural Governance in Pluralistic Societies”

Coordenação – Drª. María Lois
Tipo – Painel Aberto
Língua – Inglês
Moderador – Prof. Heriberto Cairo
Co-moderador – Prof. Cristina Montalvão Sarmento
Oradores – Dr. Carlos Vargas & Drª. Patrícia Oliveira

Atualmente na sociedade global, a criação de património cultural enfrenta novos desafios e paradigmas. Por um lado, valores de criatividade combinados com o desenvolvimento de novas formas de tecnologias de comunicação enfatizam os mecanismos internacionais para o reconhecimento e valorização do património cultural com uma projeção universal. Por outro lado, a complexidade da globalização intensificada pelas migrações, terrorismo e a crise acentuaram os atuais paradoxos sociais, económicos e políticos de disparidade entre uma maior amplitude de escolhas e um maior acesso por parte dos indivíduos. Contudo, políticas de governança cultural podem contribuir para a construção de sociedades abertas, inclusivas, pluralistas (baseadas na diversidade, tolerância e coexistência de diferentes ideias e crenças) e, por conseguinte, também constituir a afirmação de identidade para comunidades disfuncionais e/ou fragmentadas.

Neste contexto, os Estudos de Património têm-se tornado uma área dinâmica de investigação, pela sua abordagem crítica às políticas de património e práticas como relações complexas de poder, sempre sujeita a mudanças, negociações e contestações. Patrimonialização, como um processo de negociação da visibilidade de narrativas, vozes, memória, afetos e emoções envolvidas na criação de património, demonstra as políticas de representação de uma comunidade. A dimensão espacial é central nesta negociação, desde a criação de espaços e sítios patrimoniais que entalham as demarcações culturais e identificações sociais.

Neste painel, o nosso objetivo é abrir um espaço de conversação partilhada que estimule a leitura de patrimonialização como um discurso inerentemente político e espacial. Estamos interessados em abordar os regimes de governança cultural, ou seja as políticas e práticas da UNESCO, da União Europeia e de outras instituições que identifiquem o que é património. Mas também esperamos contributos que possam refletir sobre a criação de sentido envolvida em políticas de património e práticas em outras escalas, instituições, comunidades e estabelecimentos culturais. Esperamos ainda debater os desafios para a criação de património cultural nacional em sociedades pluralistas, abordando novas formas de nacionalização e integração de políticas que possam assentar em discursos sobre património.

RC15_IPSA

CALL FOR PANELS: SUBMETA A SUA PROPOSTA

Gostaríamos ainda de encorajá-lo a submeter a sua proposta para um painel fechado/ closed panel (até 10 de outubro), referindo a sua afiliação institucional ao Observatório Político.

Um painel fechado/ closed panel é definido pela IPSA como uma submissão fechada de papers ao público geral (submissão apenas por convite). É um painel pré-organizado que já possui Moderador, Co-moderador, Oradores e entre 4-6 papers. A Coordenação ficará responsável por enviar os convites para os autores e aceitar todos os abstracts de artigos submetidos para o painel. Uma proposta de painel fechado deve, portanto, incluir um título, uma descrição, um moderador, um ou dois oradores e entre 4 a 6 artigos submetidos.

Por favor, informe o Observatório Político da sua submissão e atente que a data limite para ambas as propostas encerra a 10 de outubro. Nova data limite: 24 de outubro.

__________________________________________________________

[English Version]

CALL FOR PAPERS: SUBMIT YOUR PROPOSAL FOR RC15 OPEN PANELS

We invite you to submit your paper proposal in one of the RC15 “Political and Cultural Geography” open panel entitled: “The Politics of Heritage: Spaces, Policies and Practices of Cultural Governance in Pluralistic Societies”.

Submit here a paper to this panel: https://wc2020.ipsa.org/wc/panel/politics-heritage-spaces-policies-and-practices-cultural-governance-pluralistic-societies

For the procedure of how to submit your paper please check the IPSA website: https://wc2020.ipsa.org/wc/submit-paper

New submission deadline: 24th October 2019

Panel: “The Politics of Heritage: Spaces, Policies and Practices of Cultural Governance in Pluralistic Societies”

Convenor – Dr. María Lois
Type – Open Panel
Language – English
Chair – Prof. Heriberto Cairo
Co-chair – Prof. Cristina Montalvão Sarmento
Discussants – Mr. Carlos Vargas & Dr. Patrícia Oliveira

In today’s globalized the making of heritage is facing new challenges and paradigms. On the one hand, values of creativity combined with the development of new communication technologies emphasize the international mechanisms for recognition and valorization of heritage with an universal projection. On the other hand the complexity of globalization intensified by migration, terrorism, and the crisis accentuate the ongoing social, economic and political paradox of disparities between greater choices and greater access for individuals. Although politics of cultural governance may contribute to building open, inclusive and pluralistic societies (based on diversity, tolerance, and the coexistence of different ideas and beliefs) that via may also constitute an affirmation of identity for disrupted communities.

In that context, Heritage Studies have become lately a lively research area, by engaging in a critically approaching to heritage policies and practices as a complex power relations always subject to changes, negotiations and contestations. Heritageization, as a process of negotiation of a visibilization of narratives, voices, memories, affections and emotions involved in heritage-making, displays the politics of a community representation. One central dimension of this negotiation is the spatial one, since the production of heritageized spaces and sites entails a cultural demarcation and a social identification.

In this panel, our aim is to open a space to share conversations that stimulate a reading of heritageization as an inherently political and spatial discourse. We are interested in approaching the regimes of cultural governance, meaning the policies and practices of UNESCO, the European Union and other institutions that identify what heritage is. But we also expect contributions that may reflect around the meaning-making engaged in heritage policies and practices in other scales, institutions, communities and cultural facilities. Also, we expect to debate the challenges for national cultural heritage making in pluralistic societies, approaching new forms of nationalism and integration policies may rely on heritage discourses.

RC15_IPSA

Please inform the Observatório Político of your submission and note that the deadline for both paper proposals and proposals for closed panels is 10 October. New date: 24th October. 

CALL FOR PANELS: SUBMIT YOUR PROPOSAL FOR A CLOSED PANEL

We would like to strongly encourage you to submit your proposal for a closed panel (call for closed panels until 10 October), referring your institutional filiation to Observatório Político.

A closed panel is defined by IPSA as closed for paper submissions to the general public (submissions by invitation only). It is a pre-organized and complete panel that already has an appointed chair, co-chair, discussant(s) and 4-6 papers. The panel convenor (proposer) will be responsible for sending invitations to the authors (presenters) and accepting all paper abstracts submitted to the panel. A closed panel proposal should, therefore, include a title, a description, 1 chair, 1-2 discussant(s) and 4-6 submitted papers.