Curso de Ciência Política

 

FLASHBULBS_banner
INSCRIÇÕES ENCERRADAS

Setembro/Outubro 2013

CURSO DE INTRODUÇÃO À POLÍTICA
CIIP

I Edição – 2013

 

«A discussão mais ou menos sofisticada em todos os meios públicos da ação política quotidiana parece esvaziar o objeto da ciência política antes da sua aplicação. Este inconveniente é acentuado pela variedade dos géneros e a multiplicidade das perspetivas que caracterizam a produção contemporânea da ciência política. O conhecimento científico da política e a apreensão do fenómeno político contém a dificuldade do observador dos factos sociais. A ameaça da tentação pela facilidade. Aquele que estuda, observa-se a si próprio, nas suas relações com os outros, e este contacto direto, mesmo que um pouco distante, parece dar o privilégio do conhecimento imediato. Para a vida política, esta faculdade é duplicada pela obrigação de cidadão de cumprir um dever e participar ele próprio como ator no combate político.»

(Sarmento, Cristina Montalvão «Investigar em Ciência Política», Working Paper #20, Observatório Político, publicado em 23/01/2013, URL: www.observatoriopolitico.pt)

Programa
Enquadrado nos eixos de investigação do Observatório Político, contribuindo para a formação e consolidação do conhecimento em estudos políticos e em áreas-chave de interesse académico e profissional, o curso intensivo de introdução à política fornece os instrumentos metodológicos e analíticos essenciais aos alunos que pretendem iniciar os seus mestrados e doutoramentos em ciência política. Esta formação intensiva divide-se em três módulos de introdução ao carácter científico da análise política, do estudo do poder e da evolução da história do Estado, passando pelos desafios à participação e movimentos de contestação em redes de internacionalização do poder, que obrigam a um olhar final sobre as novas estratégias de comunicação e paradigmas securitários. O curso destina-se a dar formação profissional e competências científicas relevantes para o exercício de funções nas áreas da ciência política em instituições diversas sejam empresariais ou políticas, públicas e privadas, nacionais ou internacionais.

Destinatários
Este curso tem como destinatários estudantes provenientes de outras áreas científicas que pretendam iniciar os seus mestrados e doutoramentos em ciência política e relações internacionais no ano lectivo 2013/2014. Destina-se também ao público interessado por temas relacionados com as noções fundamentais da ciência política, nomeadamente estudantes de ciências sociais, estudantes de outras áreas diversas das ciências sociais que queiram obter um primeiro contacto com os estudos políticos – ciência política e política internacional – sejam eles profissionais da política, assessores, jornalistas, bem como profissionais oriundos de gabinetes políticos e instituições, tais como multinacionais, fundações, embaixadas, institutos ou outros congéneres.

Avaliação
Considera-se concluído com aproveitamento sempre que se verifique a frequência de 75% das sessões, juntamente com a avaliação realizada em aula, reflectindo a assiduidade, a participação e o interesse demonstrado pelo aluno na discussão dos temas programáticos. A estes alunos será atribuído um diploma de frequência (mediante pagamento) no Curso Intensivo de Introdução à Política.

Docentes

Mestre Bruno Bernardes Mestre em Ciência Política pela Universidade de Estocolmo; Licenciado em Relações Internacionais pelo ISCSP; Investigador Associado do Observatório Político e membro da Brazilian Studies Association da Universidade de Illinois; desde 2008 tem desenvolvido estudos sobre elite e partidos políticos, estando atualmente a coordenar o projeto “Espólio e Arquivo Manuel Tito de Morais” da Associação Tito de Morais e do Observatório Político.
Tenente Coronel Carlos Mendes Dias Oficial do Exército; Presidente do Conselho Directivo do Centro Português de Geopolítica / Instituto Superior de Ciências da Informação e da Administração; Professor do Mestrado «História, Defesa e Relações Internacionais» (Academia Militar/Instituto Universitário de Lisboa – Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa) das Unidades Curriculares de «Política de Defesa e Segurança em Portugal» e «Seminário de Relações Internacionais II»; Professor do Mestrado em Guerra de Informação (Academia Militar) da Unidade Curricular de «Estratégia e Relações Internacionais»; Professor do Doutoramento em «História, Defesa e Relações Internacionais» (AM/ISCTE-IUL) da Unidade Curricular de Seminário de Relações Internacionais II.
Dr. Carlos Vargas Desde 2011 desempenha as funções de Presidente do Conselho de Administração do Teatro Nacional D. Maria II, E.P.E; doutorando em Ciência Política na especialidade de Políticas Públicas na FCSH-UNL, desenvolvendo o seu trabalho de investigação no âmbito das Políticas Públicas para a cultura em Portugal, no pós-25 de Abril; Licenciado em Línguas e Literaturas Clássicas pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa; Assistente Convidado do Departamento de História da FCSH-UNL, no âmbito do programa de mestrado «Práticas Culturais para os Municípios»; Investigador do Instituto de História Contemporânea da FCSH-UNL e membro fundador e Investigador Associado do Observatório Político;
Professora Doutora Cristina Montalvão Sarmento Doutora em Ciência Política na especialidade de Teoria Política (2004) pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa; Professora Auxiliar na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa; Professora Auxiliar, em regime de mobilidade, no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa; Professora Convidada do Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna; Directora e Investigadora Doutorada do Observatório Político.
Professor Doutor José Adelino Maltez Licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra; Doutor em Ciências Sociais, na especialidade em Ciência Política, pela Universidade Técnica de Lisboa, onde é Professor Catedrático (ISCSP). Para além das várias participações em praça pública, conta com várias obras como Ensaio sobre o problema do Estado (1991), Princípios de ciência política: introdução à teoria política (1996), Curso de relações internacionais (2002), Tradição e revolução: uma biografia do Portugal político do século XIX ao XXI (2004-2005); é Investigador Doutorado do Observatório Político.
Professor Doutor José Fontes Doutor em Ciências Políticas; Professor Auxiliar com Agregação da Universidade Aberta e da Academia Militar; Investigador Cientifico integrado no Instituto do Oriente/ISCSP-UTL, do CINAMIL – Centro de Investigação da Academia Militar; foi eleito Académico Correspondente da Academia Internacional da Cultura Portuguesa (2011); Presidente da Assembleia-Geral e Investigador Doutorado do Observatório Político (2011).
Professor Doutor Luís Elias Doutor em Ciência Política e Relações Internacionais na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa; Mestre em Ciência Política pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa; Intendente da Polícia de Segurança Pública; Chefe da área operacional do Comando Metropolitano da PSP de Lisboa; Curso de Direção e Estratégia Policial; Curso de Planeamento Estratégico; Curso de Formação de Formadores das Nações Unidas; Investigador Doutorado do Observatório Político.
Professor Doutor Manuel Filipe Canaveira Doutor em História das Ideias Políticas pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa; Professor Associado com Agregação em Ciência Política e Relações Internacionais (História das Relações Internacionais) na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa; Presidente da Comissão Pedagógica do Departamento de Estudos Políticos da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa; Investigador Doutorado do Observatório Político.
Doutora Maria João Cabrita Doutora em História das Ideias Políticas, na especialidade de História das Ideias Políticas, com a dissertação O Liberalismo, a Justiça Social e o Papel do Estado: as Propostas de John Rawls e Robert Nozick, pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa; Bolseira de Investigação de Pós-Doutoramento da FCT (SFRH/BPD/44993/2008) – projecto a decorrer no Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho, intitulado de Justiça Global e Direitos Humanos; Investigadora Permanente do Grupo de Teoria Política do Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho; Investigadora Doutorada do Observatório Político.
Mestre Marta Ceia Colaboradora na área da Política Multilateral no Ministério dos Negócios Estrangeiros; Mestre em Ciências da Comunicação na vertente de Comunicação Estratégica pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, com a dissertação Conquistando Mentes e Corações: a Luta Contra o Terrorismo e a Comunicação Estratégica no Contexto da NATO; Minor em Guerra da Informação/Competitive Intelligence na Academia Militar de Lisboa; Responsável pelo grupo de trabalho sobre Ciberespaço na IV Conferência para Jovens da Eurodefense (St. –Cyr L’École/Paris, França); Membro do Conselho Pedagógico do Departamento de Estudos Políticos da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa; Investigadora Associada do Observatório Político.
Mestre Patrícia Oliveira Colaboradora do Gabinete da Presidência da Assembleia da República, em serviço de assessoria; Consultoria científica sobre “redes sociais e parlamentos” para a Assembleia da República; Consultadoria científica para a exposição “Álbum de Memórias. Índia Portuguesa”, Padrão dos Descobrimentos-EGEAC; Bolseira da FCT de doutoramento em Ciência Política na especialidade de Teoria e Análise Política, FCSH-UNL; Diploma de Estudos Avançados em Ciência Política (FCSH-UNL); docente do Curso de Verão Noções Fundamentais em Ciência Política (Agosto/Setembro de 2012) FCSH-UNL; Membro da Associação Portuguesa de Ciência Política; Membro da International Political Science Association; Membro do Núcleo de Estudos de Ciência Política e Relações Internacionais (NECPRI/FCSH-UNL); Membro do Conselho Editorial da Revista Portuguesa de Ciência Política; Membro da Direcção e Investigadora Associada do Observatório Político.
Professor Doutor Pedro Fonseca Doutor em Ciências Sociais na especialidade de Ciência Política pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa; Mestre em Ciência Política pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa; Professor Auxiliar no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa desde 2011; Investigador do Observatório de Segurança Humana, projecto financiado pela FCT; Investigador Doutorado do Observatório Político.

Propinas

  • Taxa de Matrícula – 12,50€
  • Propina do Curso (total) – 250€
  • Emissão de Certificado - 8€
  • Emissão de Certificado e Diploma – 21,50€

Consulte aqui o programa

Inscrições
Para inscrever-se no curso, deverá preencher o formulário de inscrição. Pode fazê-lo:

  • directamente online, procedendo à inscrição online;
  • pessoalmente, junto do secretariado do Observatório Político, em Lisboa.

Modalidades de Pagamento
Poderá proceder ao pagamento por inteiro da taxa de inscrição e do curso ou optar pelo pagamento faseado:

  • taxa de inscrição até ao dia 14 de Setembro de 2013
  • 50% do valor total do curso até ao dia 20 de Setembro de 2013
  • restante 50% do valor total do curso até ao dia 15 de Outubro de 2013

Ambas as modalidades poderão ser feitas através de transferência bancária, cheque ou numerário.

A inscrição só será efectiva depois de efectuado o pagamento da taxa de inscrição (€12,50).

Prazos de Inscrição
Até 14 de Setembro de 2013. 20 vagas disponíveis*

  • Após esta data, e caso haja vagas no curso que pretende, poderá inscrever-se, pagando um suplemento de inscrição tardia de 20 €.
  • A inscrição só será válida após confirmação, pelos Serviços, da entrada das importâncias devidas.

*Note, por favor, que as inscrições poderão encerrar em data anterior às indicadas, a partir do momento em que o curso atinja o seu número limite de vagas (sempre que indicado).